Na sua família tem pessoas aposentadas? Você é aposentado? Como você imagina sua renda no futuro após a aposentadoria?

De seis anos para cá, o envelhecimento da população é uma tendência e uma realidade no Brasil. Esta preocupação vem sendo debatida com mais frequencia desde o ano passado.

No Brasil, a Previdência é um direito social assegurado e garantido na Constituição ao trabalhador registrado. A principal fonte de recursos para pagar a aposentadoria é a cobrança de um imposto em folha de pagamento. Para manter esse sistema equilibrado, o país precisa ter um número maior de pessoas no mercado de trabalho em comparação ao número de beneficiados na previdência, caso contrário, a outra forma de equilibrar o sistema, é transferir recursos para a previdência oriundos de outras fontes de arrecadação do governo.

Com o intuito de evitar um déficit previdenciário em um período muito próximo, que é o resultado negativo do calculo, a partir da diferença entre a arrecadação dessas contribuições e as despesas com os benefícios, o Congresso aprovou em 2015 um mecanismo que prevê mudanças no calculo da aposentadoria.

Com esta nova regra, no caso da aposentadoria das mulheres, a soma da idade com o tempo de trabalho deve atingir 85 anos, já no caso dos homens, esta soma deve atingir 95 anos. A partir de 2017, este mecanismo será gradativamente acrescido em um ponto, ou seja, a soma precisa atingir 86 e 96 anos respectivamente.

No governo atual, este assunto voltou a ser debatido, mas já se cogita um tempo ainda maior de trabalho para aposentadoria.

Infelizmente no Brasil, temos um grande problema em fazer projetos, criar processos e planos, pois não se pensa no todo, e sim, em algumas situações. Não estamos aqui para falar de algo que desconhecemos a fundo, mas sim do básico, e que ninguém até o momento falou.

Como se pode aprovar regras para aumentar o tempo de aposentadoria, ou seja, o trabalhador precisará trabalhar mais tempo, sendo que já faz muito tempo, que o profissional acima de 40 anos tem uma grande dificuldade para conseguir emprego, imaginem então os profissionais acima de 50 anos, sem contar que quando existem cortes nas empresas, esses profissionais são os primeiros a perder emprego. Corremos um sério risco de ter pessoas acima de 70 anos sem se aposentar, e talvez, nunca conseguirão.

É preciso pensar muito bem, e antes de aprovar medidas deste tipo, aprovar outras para sustentar este tipo de mudança, como por exemplo, o incetivo as empresas para manter e/ou contratar pessoas acima de 40 anos, sem tirar a oportunidade dos mais jovens.

Você já tinha pensado neste problema? O que você acha dessas mudanças? Lembrem-se, daqui a pouco você também será um aposentado, ou não. Precisamos de medidas que realmente atendam as necessidades como um todo, e que resolvam os problemas na raiz. Nada de fazer as coisas pela metade. Para isso, precisamos de líderes e pessoas capacitadas, caso contrário, as soluções serão sempre paliativas e que ajudam muito pouco.

Um grande abraço a todos!