A atividade física regular traz inúmeros benefícios para a nutrição e para a saúde das pessoas idosas, por isso, se você tem mais de 60 anos, considere a possibilidade de pedalar com uma maior frequência!

Escrito por Pedaleria

Com o aumento da energia requerida para a pedalada, há um consequente incremento na ingestão de alimentos, o que proporciona um melhor estado nutricional pelo consumo de nutrientes: calorias, proteínas, vitaminas e minerais. E ocorre também aumento da massa muscular e diminuição da gordura corporal, principalmente se a alimentação estiver bem equilibrada. A maior ingestão de proteína aumenta a massa muscular em idosos que fazem regularmente exercícios de resistência. Por isso, pedale mais e consuma uma maior quantidade de alimentos ricos em proteína, como: carnes, frango, peixes, ovos, leite e derivados, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja). Tente incluir pelo menos um destes alimentos em cada refeição ou lanche realizado durante o dia. Complemente as refeições com alimentos ricos em carboidratos, como cereais integrais, massas, batatas, mandioca; além de frutas, verduras e legumes. E não se esqueça de se hidratar bem! A garrafinha de água deve ser sua companheira durante a pedalada, e nunca vá fazer atividade física em jejum.

Uma refeição interessante para fazer antes de pedalar é uma banana amassada com aveia, e 1 copo de leite ou iogurte. Depois de pedalar, pode-se consumir, por exemplo: torradas com queijo branco e peito de perú, e 1 copo de suco de fruta.

O comitê de exercícios e reabilitação cardiovascular da Associação Americana do Coração confirma a ideia de que exercícios com bicicleta, se praticados diariamente, podem gerar benefícios em longo prazo, diminuindo os riscos de doença cardiovascular. A diminuição das taxas de gordura corporal, atingida com a contribuição dos exercícios frequentes, também é fator importante associado à diminuição dos riscos cardiovasculares.

Mesmo que moderado, o exercício frequente melhora a condição cardiovascular e diminui a fadiga dos idosos. Uma pessoa de 70 anos, com o exercício constante, pode chegar a uma capacidade aeróbica semelhante a um indivíduo sedentário de 30 anos de idade. No entanto, nenhum programa de exercício deve ser iniciado sem avaliação e supervisão médica.

Alterações metabólicas, como o aumento do glicogênio muscular, uma consequente maior sensibilidade dos tecidos à ação da insulina, e uma melhora da habilidade de se metabolizar a glicose do sangue, são outras vantagens associados ao ciclismo praticado frequentemente por pessoas idosas.

Além de todas essas condições de saúde, o exercício físico libera na corrente sanguínea substâncias chamadas endorfinas, responsáveis por uma sensação de bem estar geral. Recentes estudos descrevem efeitos benéficos da prática esportiva no combate à depressão, comparando-a até com o efeito de alguns medicamentos antidepressivos muito utilizado por idosos.