Devido ao momento da economia em nosso país, todos estão arriscados de uma hora para outra a perder o emprego, mesmo se você estiver a anos em uma determinada empresa, aliás, este é o que tem mais chance de sair primeiro.

Já nos casos dos profissionais de meia idade, ou seja, a partir de 50 anos, que são os profissionais mais experientes, este risco é ainda maior e a demissão quase certa. Se você está nesta condição, não se desespere, pois o pânico pós demissão acaba tirando diversas possibilidades do leque de opções, por isso, o fundamental é manter a calma, por mais difícil que seja.

O importante é usar a experiência, a sua rede de relacionamentos, os amigos, a participação em eventos e cursos, com o intuito de buscar um novo caminho, que pode ser em uma nova empresa, o empreendedorismo ou parcerias para abertura de novas frentes de trabalho. Este último inclusive, vem sendo muito usado e com sucesso, grupos de amigos se reúnem para ajudar uns aos outros, o ganho pode ser menor, mas o prazer e a alegria de estar novamente recebendo uma renda é altamente compensatório.

Para quem ainda não chegou a meia idade, é importante já ir “costurando” um plano B, pois nunca sabemos o dia de amanhã e nem o rumo que a nossa economia vai tomar, muito menos, as regras da aposentadoria.

Para as empresas, falta ainda um melhor preparo na hora de demitir um funcionário de meia idade com uma vasta experiência. Nenhuma empresa chega ao sucesso somente com pessoas experientes, como também não chega ao sucesso somente com pessoas jovens, a mescla, para existir a troca de experiências, é algo importante e fundamental em qualquer ramo.

Em vários países do mundo, as pessoas de meia idade ou mais experientes, são muito respeitadas não só pelas empresas, pelo governo, mas também pelos mais jovens, inclusive, diversos países trouxeram novamente para a ativa muitos profissionais de meia idade, exatamente para saírem de crises e ajudar na formação dos novos profissionais.

Sendo assim, você profissional de meia idade, foco na saúde, na vida pessoal e no trabalho, trilhe novos caminhos, busque novos ou antigos parceiros, as chances vão surgir e a alegria vai voltar.

Você com menos de 50 anos, já tem um plano B? Sua empresa respeita os profissionais de meia idade? Como é o relacionamento do profissional mais experiente com o mais jovem? Você se relaciona bem ou tem dificuldades com ambos os públicos?