Criatividade – imaginação, invenção, engenhosidade, inspiração e originalidade. São inúmeras palavras que definem a criatividade, a capacidade que temos de recombinar informações para dar origem ao novo e até descobrir formas de solucionar problemas.

Para a neurociência, a criatividade resulta da combinação “criativa” das atividades já registradas em partes do cérebro e não da atividade de algum “centro de criatividade” cerebral.

Assim, a capacidade de ser criativo está associada à habilidade de ver além, enxergar o que aparentemente não está acessível aos olhos.

Dicas para estimular a criatividade

Mantenha a mente aberta: para alguns especialistas, a criatividade está ligada ao apetite por conhecimento. Por isso, pessoas criativas geralmente se dedicam a assuntos sobre os quais elas ainda não sabem. Portanto, quanto mais diversificado for o seu grupo de amigos, melhor. Conviver com pessoas de áreas de atuação diferentes da sua e que pensam diferente de você pode ajudá-lo a ter ideias inovadoras.

Enxergue o problema: para resolver o problema da melhor forma possível, é preciso primeiro enxergá-lo. Se a solução para algum problema não aparece, é um sinal de que você está tentando responder a pergunta errada. Questione. Pensar em coisas novas exige fazer novas perguntas.

Valorize suas ideias: às vezes as expectativas bloqueiam o processo criativo e a frustração acaba minando a criatividade. Por sorte, ninguém pode acabar com esta capacidade sem o seu consentimento. Então, confie na sua intuição e valorize cada ideia nova. Anote em uma folha de papel, rabisque, escreva e coloque em prática.

Combine ideias antigas: os melhores insigths vêm da combinação de ideias que inicialmente não parecem ter relação nenhuma. Por exemplo, escolha duas palavras aleatoriamente de um texto e invente uma combinação. É um bom exercício de criatividade.

Use a emoção criativamente: quando você está num estado de medo ou de depressão, você evita novidades, uma vez que tais sentimentos fazem você sair dos modos cerebrais geradores de ideias. Contudo, indivíduos altamente criativos têm longos episódios de ansiedade ou irritabilidade, mas encontraram maneiras de usar esses estados de afetividade negativa para aumentar sua criatividade, usando o trabalho criativo como uma forma de avaliar seus sentimentos negativos, assim, tais sentimentos agem como motivadores para a criatividade e o trabalho criativo funciona como uma espécie de terapia autoadministrada.

Exercite seu cérebro: o aumento de ondas gama – ondas cerebrais – acontece justamente no insight. Se a criatividade é a combinação de várias ideias, é preciso obviamente ter várias ideias na cabeça. Então, alimente o seu cérebro com novidades. Leia sobre diversos assuntos, vá a lugares onde você nunca foi, faça amigos e pratique ginástica cerebral (atividades que ativam seus neurônios). Manter as conexões em atividade é a principal receita para deixar a criatividade “fluir” no cérebro.

Memória de trabalho: em geral, ser criativo depende de um conjunto de regiões dos dois lados do cérebro que também participam damemória de trabalho, da representação de objetos e ações, de significados emocionais e, sobretudo, da flexibilidade cognitiva: a capacidade de mudar o conjunto de regras em uso.

A ginástica cerebral promove justamente isso: fazer a mesma coisa de formas diferentes, como encontrar um novo caminho para ir ao trabalho, escovar os dentes com a mão não dominante; andar de costas em casa. Proporcionar desafios ao cérebro é o lema desta prática que já mudou a vida de mais de 50 mil alunos do SUPERA.

Por meio de atividades lúdicas, o aluno melhora o desempenho cognitivo, desenvolve o raciocínio lógico, a atenção, a concentração e, consequentemente, estimula a criatividade.

O quadro “Sala de Emprego”, transmitido pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, abordou o tema “criatividade nas empresas”:

Fatores fundamentais para estimular a criatividade, de acordo com a neurociência

  • Primeiro, nosso estado emocional. Precisamos nos sentir confiantes e motivados e essa confiança vem de bons resultados que atingimos, sendo assim, precisamos nos permitir tentar para acertar ou errar.
  • Não podemos nos sentir ameaçados. Um ambiente ameaçador ativa áreas no nosso cérebro que vão ativar comportamentos de preservação e nestas situações é muito mais fácil usarmos estratégias antigas do que criar novas soluções.
  • O medo de perder o emprego ou repetir de ano são inimigos da nossa criatividade. Se quisermos mesmo ser criativos, precisamos dar tranquilidade ao nosso cérebro para que ele possa criar.
  • A nossa motivação está diretamente relacionada com o quanto gostamos do que estamos fazendo e das recompensas que conseguimos quando atingimos nossos objetivos. Estas recompensas vão desde elogios até melhores salários. Mas nós mesmos podemos melhorar nossas recompensas se estivermos atentos e valorizarmos nossos esforços e resultados.

brain-both-sides-canstockphoto16123448

10 Maneiras de desbloquear o gênio criativo

  • Faça pequenas apostas
  • Questione tudo
  • Basei-se nas ideias clássicas
  • Pergunte a três pessoas: novas perspectivas trazem novas abordagens
  • Pense como um gênio: “o que aquela pessoa faria?”
  • Acompanhe suas ideias anotando-as num papel
  • Sonhe acordado e rabisque
  • Tenha foco: domine uma coisa, não várias
  • Mexa-se: caminhar melhora o pensamento criativo
  • Esqueça a perfeição: faça mais, julgue menos.

Exercite sua criatividade: desafie seu cérebro

 

Isabella Rabelo / isabella.comunicacao@metodosupera.com.br