Os mais velhos tendem a ficar mais felizes, liberais e em muitos casos, permanecem afiados. Na seqüência são apresentadas 4 mudanças na mente e corpo ao envelhecer.

As células-tronco envelhecem também

Abaixo da flacidez da pele, as células do corpo também estão se deteriorando. As células-tronco pensadas a combater o envelhecimento por reabastecer células danificadas ou velhas, também sucumbem ao desgaste e dano do envelhecimento.

A pesquisa publicada na revista PLoS Biology em 2007, sugere que a capacidade regenerativa das células-tronco declina conforme envelhecimento. No estudo, os pesquisadores analisaram células-tronco que dão origem à medula óssea que tinham sido isoladas de ratos jovens e velhos.

As células foram transplantadas em ratos cujas células da medula óssea tinham sido destruídas. De início, as células-tronco velhas e novas despejaram novas células em determinada taxa igual; mas, mais tarde, a capacidade de repovoamento das antigas células-tronco caiu consideravelmente comparada com suas homólogas novas.

Os cientistas suspeitam que a genética esteja em jogo, conforme genes para estresse e inflamação se tornam mais ativos nestas células-tronco com a idade.

Menos tempo necessário para dormir

Em um estudo com 110 adultos saudáveis que tiveram 8 horas de período para dormir, o grupo mais velho, com idade de 66 a 83, dormiram em torno de 20 minutos a menos do que aqueles de meia idade, entre 40 e 55 anos, que por sua vez dormiram em torno de 23 minutos a menos do que o grupo mais jovem, de 20 a 30 anos.

A explicação mais simples para quantidade menor de minutos dormindo, os adultos mais velhos precisam dormir menos. Outra explicação, e uma apoiada pela pesquisa, os adultos mais velhos simplesmente não conseguem dormir o quanto precisam, levando mais tempo para adormecer, passando menos tempo em sono profundo, e tendo mais problema em se manter adormecido.

Na realidade, mais da metade de homens e mulheres com mais de 65 anos dizem que sofrem de ao menos um problema para dormir, com muitos enfrentando insônia, segundo WebMD.

Se tornam mais distraídos

Se tiver problemas sintonizando informação estranha, do ruído de fundo para outdoors piscando, a idade pode não ser amiga. Conforme uma pessoa envelhece, a capacidade dela de ignorar distrações piora segundo Karen Campbell, uma estudante de doutorado em psicologia em University of Toronto.

Mas Campbell e seus colegas descobriram uma fresta de esperança que pode focar, os idosos podem ter a capacidade única de hiper-associação da informação relevante a fixando com outra informação aparecendo ao mesmo tempo. A capacidade poderia finalmente melhorar a memória.

Tudo começa a ceder

A pele pode ser uma indicação que passou da marca de meio século. Com a idade, a camada externa da pele, chamada de epiderme, se torna menos densa. Ao mesmo tempo, a pele se torna menos elástica e a gordura facial em camadas mais profundas da pele diminui. O resultado, um aspecto solto, flácido marcado por linhas e aberturas.

Enquanto as injeções de preenchimentos podem ajudar pelo rosto, os pesquisadores estão agora descobrindo que tais procedimentos cosméticos podem não ser suficientes. Isso é porque o queixo, bochecha e ossos da cavidade ocular também se desgastam com a marcha do tempo, segundo a pesquisa liderada por Dr. Robert Shaw, Jr., da University of Rochester.

A perda desta base resulta em queda das pálpebras superiores, bochechas caindo e mandíbulas alteradas. Os pesquisadores do estudo sugerem que implantes ósseos podem estar em ordem, embora como com qualquer cirurgia haja riscos, como infecção e dormência.