Conhecido popularmente como derrame, o AVC é classificado em dois tipos: o isquêmico e o hemorrágico. O AVC isquêmico é decorrente de uma obstrução de um vaso sanguíneo cerebral, ocasionando a falta de fornecimento de sangue na região afetada. Já o AVC hemorrágico ocorre quando um vaso sanguíneo cerebral se rompe, causando sangramento intracraniano. Em ambos os casos, o serviço de saúde deve ser acionado imediatamente. O atendimento precoce diminui o risco de sequelas e morte.

As principais causas são: a hipertensão arterial (causa frequente, principalmente se aliada a hábitos como o tabagismo e o alcoolismo) e ainda o aumento nos níveis de colesterol, o diabetes, as doenças do coração e o uso inadvertido de anticoncepcionais orais. Obesidade, alimentação com altos teores de gordura e estresse também aumentam a incidência da doença. Outro fator é o uso de drogas ilícitas.

O número de internações de pessoas entre 15 e 34 anos que sofreram AVC aumentou 21% entre os anos de 2007 e 2011, segundo o Ministério da Saúde. “Esse aumento é resultado das mudanças de hábito de vida adotadas pela população mais jovem nos últimos anos, que está inserida em uma sociedade cada vez mais competitiva e sujeita ao estresse, o que torna os casos de AVC mais comuns entre pessoas jovens”, lamenta Dr. Benjamim Pessoa Vale, neurocirurgião e Conselheiro da SBN (Sociedade Brasileira de Neurocirurgia).

Dados da OMS revelam que o AVC é responsável pela morte de cinco milhões de pessoas no mundo a cada ano. No Brasil, a doença mata mais do que o infarto e acomete mais de 100 mil pessoas anualmente, de acordo com o Ministério da Saúde. “Os riscos podem ser minimizados desde que a pessoa esteja disposta a adotar medidas não medicamentosas que podem reduzir a pressão arterial e contribuir para a prevenção do AVC, tais como: redução do consumo de sal, gorduras e álcool, dieta adequada aos diabéticos, realização de atividade física regular e controle do peso, além da adoção de um estilo de vida menos estressante”, recomenda o especialista.

Confira abaixo algumas dicas de como prevenir um AVC:

  • Mudanças no estilo de vida por meio da redução do consumo de sal, gorduras e álcool.
  • Adoção de hábitos alimentares saudáveis, com ingestão de mais vegetais: frutas, legumes e verduras com redução das carnes e gemas de ovos.
  • Realização de atividade física regular.
  • Controle do peso corporal.
  • Tratamento e controle da hipertensão arterial, das doenças do coração e do diabetes.
  • Largar o cigarro.
  • Tratamento de dislipidemias (presença de níveis elevados de lipídios: moléculas gordurosas)

Fonte: Assessoria de Imprensa da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia