Até os 7 anos de idade, Alex morava com os pais na casa dos avós. Sua avó era quem preparava tudo e por isso cresceu vendo chegar caixas de legumes, ingredientes, e tudo o mais para o preparo dos “banquetes” que ela dava para os amigos do trabalho do avó. Além disso seus avós tinham um sitio em Teresópolis, para onde levaram um pouco da tradição gastronômica européia.

No sitio haviam produtos que não existiam na época no Brasil e ele adorava aqueles odores, os cheiros, tudo o fascinava. Quando a avó ia para a cozinha, chamava o pequeno Alex, que a ajudava e invariavelmente ela pedia que ele provasse ou cheirasse alguma coisa, pois descobriu que o menino tinha um paladar aguçado. E foi assim que o chef desenvolveu sua paixão pela cozinha, e mais ainda pela sua avó.
Mas sua carreira não começou na gastronomia. Herzog foi empresário, CEO de um grande grupo com atividades nos ramos da siderurgia, construção civil, serviços de engenharia e consultoria de sistemas e um belo dia decidiu abandonar tudo e seguir a carreira fotográfica, que era um sonho desde que seu avô lhe dera de presente, aos 10 anos de idade, uma câmera fotográfica Leica. O destino o mandou para os EUA em 1991, onde acabou fazendo review de restaurantes na Florida para um jornal local. A partir daí começou a fazer diversos cursos de culinária por lá, até que em 1999 retornou definitivamente ao Brasil, e abriu o CooksClub In House, uma escola de culinária nos mesmos moldes das que ele conhecera lá fora. Até que um belo dia, montou um bistrô no Rio Design Barra e até hoje se diverte no In House Café-Bistrô, onde conta com a ajuda do seu filho mais velho, Andre. Herzog fica na parte de gastronomia, coordenando o menu, novas receitas, etc.
No restaurante, as pessoas podem encontrar um clima caseiro e uma refeição que não precisa de intérprete para comer: gostosa e sem muita firula. Como Herzog viaja muito, o cardápio tem um toque de alguns lugares por onde passou ou morou, como o Camarão Hula-Hula, a Salada Caesar (a verdadeira!!!, com alface Romana e molho à base de anchovas), ou ainda o Gnocchi Parahyba, servido com molho cremoso de abóbora e requeijào, e carne seca desfiada.
Além de empresário, chef de cozinha e fotógrafo, ele é escritor e editor de livros, e ainda produtor rural de orgânicos certificados pela ABIO na serra fluminense.
Como fotógrafo e escritor, publicou os livros da série “Bistrôs, onde comer bem, bacana e barato”. São 3 ao todo: Paris, Buenos Aires e mais recentemente Rio de Janeiro. Todos são ganhadores de prêmios internacionais: Paris, 4º melhor guia do mundo; B. Aires: melhor fotografia de gastronomia; e Rio de Janeiro: melhor guia de culinária.
 Como editor, lança em 2015, a coleção de livros de culinária, “Culinária Consciente”, sobre comida vegetariana, vegana, comida viva, crua, e sem sofrimento animal. Os livros são escritos por diferentes chefs, e levam o selo do Instituto Inverde e da Mauad Editora. O Instituto Inverde (www.inverde.org), é uma ONG dedicada à sustentablidade urbana e à infraestrutura verde, da qual Herzog é o Presidente do Conselho.